sábado, 4 de janeiro de 2014

O ENREDO

BLOCO CARNAVALESCO UNIDOS DO MORRO DO CÉU




Carnaval 2014


ENREDO: 100 ANOS DE SELEÇÃO BRASILEIRA- O MELHOR FUTEBOL DO PLANETA




AUTOR: Héverton Teixeira
DESENVOLVIMENTO DO ENREDO
Edú Aguiar





Florianópolis, 14 de dezembro de 2013.





















“Ao menos aparentemente, não importa o quanto o futebol seja feito de contradições: ele atrai as massas do mundo todo, como nenhum outro esporte faz.”

Do autor: Héverton Teixeira

Introdução
Futebol faz parte da vida de todos os brasileiros: homens, mulheres, crianças. Todos unidos em torno de uma grande paixão nacional, é como dizem: o Brasil tem milhões de técnicos. Quem não gosta de assistir a um jogo, sentir a emoção de um gol, zoar o adversário pela derrota. Enfim, não dá pra negar, somos todos fanáticos por futebol. O futebol no Brasil é mais que um esporte, é um estilo de vida, uma forma de interagir com a sociedade brasileira. Independentemente de classe social, raça ou qualquer outra diferença, durante uma partida da Seleção brasileira, todos nós brasileiros somos apenas torcedores, com um único objetivo: vencer e levar o nome do Brasil a todas as pessoas do mundo. O legal do futebol é isso, poder conversar, discutir o melhor esquema tático, falar dos jogadores, do técnico, enfim, de tudo que diz respeito ao futebol.
“Somos todos uma nação: a nação dos fanáticos por futebol.”

Voa Canarinho
(Autores:Nono / Memeco)
Voa, canarinho voa,
Mostra pra esse povo que és um rei,
Voa, canarinho voa,
Bola rolando e o mundo se encantando,
Com a galera delirando,
Toma aí e quero mais.




1- Um pouco da historia desse esporte bretão que conquistou o mundo e o coração dos brasileiros.
“O futebol é um esporte bretão que eleva a autoestima de seus praticantes.”
O futebol tem uma origem que remonta a priscas eras passando pela Grécia antiga e pela China, mas o jogo mesmo com 11 homens de cada lado tentando colocar uma bola dentro do gol é bem mais recente. E hoje é um dia especial para os amantes do velho esporte bretão. Foi  exatamente  num dia 30 de novembro, de 1872, há 141 anos, que  foi dado o pontapé inicial com  a primeira partida oficial da história. Na ocasião, 4 mil espectadores acompanharam o jogo entre  Escócia e Inglaterra no campo do West of Scotland Cricket Club, em Partick, perto de Glasgow. A partida acabou 0 a 0, mas o encontro foi  histórico por tudo o que o futebol se  transformaria no século seguinte do futebol.
2 - No Brasil como tudo começou.
A história do futebol no Brasil tem início com um jovem chamado Oscar Cox que, como a maioria dos praticantes do esporte no século XIX, era de família rica e tinha estudado na Europa. Na bagagem de Cox, muito mais importante do que a bola de foot-ball, encontrava-se o manual de regras da Associação Futebolística Inglesa. Esse manual forneceu regras que ainda não eram conhecidas ou difundidas no futebol do Rio de Janeiro naquela época, mesmo pelas elites, que o praticavam, muitas vezes, sem compromisso com as regras oficiais. De fato, o futebol era um esporte incipiente no Brasil, embora na Inglaterra já fosse difundido e na Europa houvesse uma progressiva formação de clubes. A contínua difusão do esporte pela América do Sul foi um tanto correlata à experiência brasileira com Oscar Cox e Charles Muller. Este também havia ido à Inglaterra, em 1894, e também trouxe as regras do jogo. O football começa a dar seus passos para uma prática mais organizada, sistematizada, importada dos campeonatos e práticas inglesas do esporte.
O surgimento de novos clubes de futebol como o “Rio Foot-ball Club” – o primeiro formado por descendentes de ingleses e brasileiros da elite juntos – e o acolhimento do esporte, com posterior formação de times, por outros clubes mais antigos que praticavam outros esportes, como era o caso do Club de Regatas Vasco da Gama e o do Flamengo, marcam o início da chegada do jogo no Rio de Janeiro. Aliado a isso, foi fundamental para o esporte os jogos realizados contra os clubes e selecionados paulistas, estabelecendo-se uma rivalidade regional que  só fez com que este esporte se firmasse cada vez mais como esportes das multidões.
3 - Futebol paixão nacional.
Futebol é mais do que um esporte no Brasil, pois através dele se forjam identidades. Foi, por exemplo, um importante componente na formação da identidade brasileira, e não é por acaso que é feita a frequente comparação dele com as religiões, ao se dizer que “futebol é uma religião no Brasil”. Pois na relação com o futebol a população constrói mitos, santifica heróis e demoniza vilões, personagens de sua narrativa.
4- Seleção Canarinho: cem anos de futebol arte- - A construção da Nação Canarinho:
Mundialmente conhecido, nacionalmente adorado, o futebol brasileiro tem uma história fascinante. Quem poderia imaginar que poucos anos depois de estrear oficialmente, em julho de 1914, a seleção brasileira seria catapultada à condição de símbolo de brasilidade, tornando-se assuntos incontornáveis para torcedores, especialistas e até mesmo, intelectuais?
O enredo “A construção da Nação Canarinho – Cem anos de futebol arte” traz ao público algumas das várias histórias do futebol nacional em cem anos de historia – 1914 – 2014 pelos campos do mundo. Este tema percorre um eixo de pesquisa pouco usual, a fim de compreender o processo de formação da seleção brasileira. Por meio da análise de estratégias utilizadas por jogadores e dirigentes ao longo do tempo, este enredo procura entender as relações estabelecidas entre a seleção, e a paixão do povo brasileiro pelo futebol.
5- Nossa trajetória no futebol mundial:- A maior vencedora de todas as copas
A Seleção Brasileira de Futebol , criada pela Confederação Brasileira de futebol(CBF), que representa o país nas competições de futebol organizadas pela Comembol e pela FIFA. É o time mais bem-sucedido de futebol na história das copas do mundo, sendo a seleção nacional que mais vezes conquistou o Mundial com cinco títulos até então (1958, 1962,1970,1994,2002)tendo conquistado um total de 20 títulos internacionais oficiais. Um lema comum da seleção nacional do Brasil é: “Os ingleses o inventaram, mas os brasileiros o aperfeiçoaram” O Brasil é consistente entre as nações mais fortes de futebol do planeta e é a única equipe a ter jogado em todas as copas do mundo.
A primeira partida da seleção brasileira contra o Exeter City Football Clubem 1914.
A Seleção Brasileira foi formada pela primeira vez em 20 de agosto de1914. Fez seu primeiro jogo contra o Exeter City da Inglaterra, no campo do Fluminense, em 27 de julho daquele ano. Vitória para os brasileiros por 2 a 0, com o primeiro gol marcado por Oswaldo Gomes, do Fluminense. A equipe jogou ainda naquele ano em dois jogos contra a Seleção Argentina, sendo um amistoso em 20 de setembro e outro oficialmente, valendo a Copa Roca em 27 de Setembro, competição que visava a aproximar mais estes dois países. O Brasil venceu por 1-0 em Bueno Aires (gol de Rubens Salles), consagrando-se campeão do torneio, sendo esse o primeiro de vários títulos conquistados pela seleção Canarinho. O primeiro título relevante conquistado pela Seleção Brasileira foi o Campeonato Sul -Americano de 1919, atual Copa América, com Friedenreich marcando o gol do título sobre o Uruguai, no Estádio das laranjeiras construído pelo Fluminense para esta ocasião, já que o governo brasileiro não tinha o dinheiro para financiar este evento internacional. Em 1922, o Fluminense ampliou o seu estádio e a Seleção Brasileira conquistou o segundo título relevante de sua história, o bicampeonato do Sul Americano de Seleções.


6- Seleção Brasileira e as Copas do Mundo.
6.1 - Copa de 1958 onde o Brasil obteve o seu 1º titulo mundial de futebol.           
Enfim, após 28 anos de sofrimento e desilusões, a primeira grande vitória do futebol brasileiro, no embalo das artes de  Pelé, Garrincha e do Escrete  de Ouro. O time que fez de Garrincha a alegria do povo e de Pelé--aos 17 anos-- o rei do futebol. Uma equipe que não bastassem Pelé e Garrincha, ainda tinha Didi, Nilton Santos, Vavá, Belini, Zagalo, Orlando, Gilmar, Zito, Djalma Santos, que só precisou de um jogo para ser herói nacional. Na Suécia, sim, o Brasil tinha tudo: o timaço, a organização perfeita e a tática revolucionária. Pôde  então, realizar o seu sonho de 28 anos. E tão surpreendente foi a sua atuação, na copa de 1958, que os filmes dos jogos são exibidos até hoje no mundo inteiro como autênticas aulas de futebol.
Nascia um Rei - Pelé o camisa 10.
Quando o time voltou, coberto de gloria  o povo cantou e dançou. Nunca um time começara tão desacreditado quanto esse. A CBD fora organizada por João Havelange. e a seleção também. Logo a seguir ele oficializou o Plano Paulo Machado de Carvalho que revolucionava todo o sistema administrativo do futebol brasileiro, do ponto de vista popular, a idéia de uma Comissão Técnica agradava. Mas ainda havia quem não acreditasse em Vicente Feola como técnico e em Carlos Nascimento como supervisor. No final os dois acabariam consagrados ao lado dos seus jogadores. Era a hora do reverso da medalha: o  time que embarcara cercado de pessimismo voltou coberto de serpentinas. E festejado com um carnaval inesquecível.
6.1.1 - Os heróis da Copa de 1958.
Castilho  , Bellini, Gilmar, Djalma Santos, Dino, Didi, Zagallo, Moacir, Zózimo, Pelé, Garrincha, Nilton Santos, Mauro, De Sordi, Orlando      , Oreco, Joel, Mazzola, Zito, Vavá, Dida e Pepe.

6.1.2 - Comissão Técnica
Chefe: Paulo Machado de Carvalho
Secretário: Abílio de Almeida
Tesoureiro: Adolpho Marques Júnior
Delegado ao Congresso: Luiz Murgel
Supervisor técnico: Carlos Nascimento
Técnico: Vicente Feola
Preparador físico: Paulo Amaral
Observador técnico: José de Almeida
Psicólogo: João Carvalhaes
Médico: Hilton Gosling
Dentista: Mário Trigo Loureiro
Massagista: Mário Américo
Auxiliar: Francisco de Assis (roupeiro)
6.1.3 - Musica que embalou a conquista  do titulo:
A Taça do Mundo é nossa
Autores: W. Maugeri, Maugeri S., V. Dagô e L. Müller

A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
O brasileiro lá no estrangeiro
Mostrou o futebol como é que é
Ganhou a taça do mundo
Sambando com a bola no pé (Goool!)
A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
O brasileiro lá no estrangeiro
Mostrou o futebol como é que é
Ganhou a taça do mundo
Sambando com a bola no pé (Goool!)

6.2- 1962: O bicampeonato.
Vamos ver como foi à conquista do Bicampeonato em 1962.
O milagre do bi começou quando o Brasil mostrou que, com Pelé ou sem, ganhava, principalmente com Garrincha em recital.
O bi era questão de honra. Tanto que se organizou uma verdadeira operação de guerra para conquista-lo. Talvez nem mesmo em Cabo Kenedy ou Baikonur, uma tarefa tenha sido tão esmiuçada e testada, ponto por ponto. Assim, na era da conquista do Cosmo, o foguete brasileiro era a bola. A tal ponto que o time desembarcou no Chile preparado para tudo. Até para jogar sem Pelé, como jogou e ganhou. Quando ele se machucou, houve certo pânico. Pelé era o maior jogador do mundo e, em consequência, o ponto de desequilíbrio em qualquer partida de futebol. Mas Amarildo estava preparado para ocupar o seu lugar. E foi justamente ele quem traçou o destino do Brasil naquela Copa, com dois gols marcados contra a Espanha. A partir dali tudo ficou mais fácil. Nos 3x1 contra a Inglaterra, o time já recuperara a confiança na sua força, com Garrincha mais Mané do que nunca, em pleno recital, cercado de Joões por todos os lados. Mas um Garrincha bem brasileiro, vencedor. Uma espécie de El Cid, galopando seu futebol em todas as direções. E na linha reta da vitória final que ele Garrincha--- mais do que nunca a alegria do povo ----ajudou a ganhar.   
 Garrincha e seus "Joões" este escrete, mesmo sem Pelé (machucado) era um TIMAÇO!!!
Historicamente, o bi consagrou uma das mais privilegiadas gerações do futebol brasileiro. É verdade que Pelé reinava. Mas ninguém discutia os talentos e as lideranças de Zito, Didi e Mauro, que faziam do Brasil um time de três corações. Um time que, além de tudo, contava com Gilmar, Nilton Santos e Djalma Santos, Mauro, Vavá mais leão do que nunca, Zagalo, Zozimo e outros heróis do bi.
6.2.1 - Os heróis da Copa de 1962.
 Djalma Santos, Zito,Gilamr, Zozimo, Mauro e Nilton Santos , Garrincha, Didi, Vavá, Amarildo e Zagalo.
6.2.2 – Comissão Técnica
Treinador: Aymoré Moreira
Supervisor: Carlos Nascimento      
Superintendente: Mozart Machado
Preparador físico e chefe da delegação: Paulo Machado
Olheiro: Ernesto dos Santos
Administrador: José de Almeida   
Tesoureiro: Ronald Vaz Moreira
Secretário: Adolfo Marques
Roupeiro: Francisco de Assis
Cozinheiro e sapateiro: Aristides Pereira
6.2.2- Comissão médica    
Médico: Hilton Gosling
Psicólogo:  Ataíde Ribeiro     
Dentista: Mário Trigo
Massoterapeuta: Mário Américo
6.2.3- Outros
Jornalista oficial (O Globo) Ricardo Serra
Delegado: Luiz Murgel  
Delegado: Abílio Ferreira     
Delegado: Paulo Costa
Delegado: António do Passo
Convidado de honra: João Mendonça
Convidado de honra: João de Paiva      
6.2.4 – Musica que embalou a conquista do titulo:
Frevo do Bi
Autor:Silvério Pessoa

Vocês vão ver como é
Didi, Garrincha, Pelé
Dando seu baile de bola
Quando eles pegam no couro
O nosso escrete de ouro
Mostra o que é nossa escola
Quando a partida esquentar
E Vavá de calcanhar
Entregar a pelota a Mané
E Mané Garrincha, Didi
Didi diz é por aqui
Aí vem o gol de Pelé
6. 3 - 1970 – Tricampeã no México.
O tri, no México, foi à coroação de um trabalho de quatro anos que começou no momento em que o Brasil foi eliminado, na Inglaterra em 1966.
Estava escrito, porém, que o fracasso de Liverpool, o Brasil tiraria as lições para a mais primorosa campanha já cumprida por uma seleção, na história das Copas do mundo. Durante três anos trabalhou-se pelo o tri.Em 1967 João Havelange criou uma Comissão Selecionadora Nacional(COSENA).Em 1968 Aymoré Moreira testou um time renovado numa excursão à Europa. Em 1969 João Saldanha formou a equipe para as eliminatórias e revolucionou certos conceitos de recrutamento. Finalmente, na hora da Copa, a boa estrela, a experiência e os indiscutíveis conhecimentos de Zagalo foram decisivos. Ainda se tinha o incomparável Pelé, disposto a tudo na sua ultima Copa. O melhor, porém, era a geração que chegava, com Tostão, Jairzinho, Gerson ,Carlos Alberto Torres, Brito, Everaldo, Clodoaldo ,Rivelino, Paulo Cesar ,Felix. Discute-se, até hoje, qual o melhor time: se o de 58, o de 62 ou o de 1970. E, certas coisas que se viram no México, só mesmo o time do tri.
6.3.1- O Timaço do TRI - 1970
“O segredo da seleção brasileira foi acreditar sempre na sua superioridade em campo”.
Nunca um time havia jogado tanto, nas finais da "Jules Rimet". Ao final da Copa de 1970, a critica internacional foi unânime em nomear o time do Brasil como um dos melhores de todos que disputaram a Taça Jules Rimet , desde a sua instituição. E  foi justamente essa equipe que conquistou definitivamente para o Brasil o valioso troféu. Como em 58 e 62, o conjunto da seleção era impecável. Pelé era novamente o seu Rei. Não havia mais Garrincha. Mas Jairzinho (fez gol em todos os jogos da copa) estava lá. O time titular formou com : Felix, Carlos Alberto Torres, Brito, Piazza e Everaldo, Clodoaldo, Gerson e Rivelino e no ataque, Jairzinho, Tostão e Pelé , participaram também : Marco Antônio, Paulo Cesar Lima, Dario ,Ado, Leão, Joel  Camargo, Fontana, Baldochi e Roberto. Mas era a figura de Tostão que sombreava Pelé. Talvez por jogar sempre ao seu lado. E tão bem quanto ele. O que Pelé e Garrincha foram em 58 e 62, Tostão foi em 70. Por ironia do destino, não alcançou a mesma fama deles. Teve que para antes. Foi, porém, a abelha-mestra do TRI. E essa justiça, a história lhe faz. Pra Frente Brasil (Copa De 1970)
Brasil Tricampeão do Mundo! A comemoração brasileira, dentro e fora do estádio Azteca, fora tão espetacular como nunca houvera antes em nenhuma Copa do Mundo. Torcedores em delírio acercavam-se dos jogadores brasileiros retirando não só suas camisas, mas qualquer coisa que ainda restasse de seu uniforme. Este delírio e paixão pelo nosso futebol eram na verdade os resultados dos jogos exuberantes mostrado pelo Brasil nos gramados mexicanos. Jogos que não foram somente caracterizados pela arte, mas pela dedicação e entusiasmo que marcaram aquela seleção. A mesma seleção que ajudaria a consagrar o maior jogador de futebol de todos os tempos: Pelé.
“Jair o furacão da Copa e Pelé, mais Rei do que nunca, na sua ultima Copa.”

6.3.2- Os heróis da Copa de 1970.
1 -  Félix (Fluminense)
2 – Brito (Flamengo)
3 - Piazza (Cruzeiro)
4 -  Carlos Alberto (Santos)
5 - Clodoaldo (Santos)
6 - Marco Antonio (Fluminense)
7 - Jairzinho (Botafogo)
8 - Gérson (Sao Paulo)
9 - Tostão (Cruzeiro)
10 - Pelé (Santos)
11 - Rivelino (Corinthians)
12 - Ado (Corinthians)
13 - Roberto (Botafogo)
14 - Baldocchi (Palmeiras)
15 - Fontana (Cruzeiro)
16 - Everaldo (Gremio)
17 - Joel (Santos)
18 - Paulo César (Botafogo)
19 - Edu (Santos)
20 - Dario (Atlético MG)
21 - Zé Maria (Portuguesa)
22 - Leão (Palmeiras)

6.3.3 - Comissão técnica Copa do Mexico.
Chefe: Jeronimo Bastos.
Secretário da Chefia: Roberto Camara Guaranyr.
Assistente Administrativo: Walter José dos Santos
Delegados ao Congresso: Sílvio Correa Pacheco, Abílio Ferreira D'Almeida e José Hermírio de Moraes Filho.
Tesoureiro: Sebastião Martines Alonso.
Presidente da Comissão: Antonio do Passo.
Administrador: José de Almeida.
Assessor Administrativo: Tarso Heredia.
Supervisor: Claudio Coutinho
Técnico: Mario Jorge Lobo Zagalo.
Médicos: Lídio Toledo e Mário Pompeu.
Preparadores Físicos: Admildo Chirol e Carlos Alberto Parreira.
Massagistas: Mário Americo e Nocaute Jack.
Roupeiro: Abílio José da Silva.
Cozinheiros: Edgar Barbosa e Mário Vieira da Rocha.
6.3.4– Musica que embalou a conquista do titulo:
'Pra Frente Brasil'
Compositor: Miguel Gustavo.

Noventa milhões em ação
Pra frente Brasil
Do meu coração
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil
Salve a Seleção
De repente é aquela corrente pra frente
Parece que todo o Brasil deu a mão
Todos ligados na mesma emoção
Tudo é um só coração!
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil, Brasil
“Salve a Seleção...”

6.4 - B R A S I L T E T R A C A M P E Ã O M U N D I A L  1994  
A copa do mundo de 1994, foi sediada pelo EUA, apesar de pouca tradição no futebol, bateu todos os recordes de publico mantidos até hoje. Com um futebol extremamente eficiente e com um grupo muito unido e liderado pelo polêmico craque Romário, a seleção brasileira conquistou seu 4º titulo mundial. Foi a copa das surpresas, A Bulgária que até ali em seis participações anteriores jamais havia vencido um jogo de Copa do Mundo superou grandes favoritos, sendo a 1ª colocada num grupo que tinha a Argentina, além de eliminar num jogo emocionante a Alemanha, até então campeã mundial por 2x1 nas quartas de final. Outra surpresa foi a Nigéria, com seu futebol ofensivo. Romênia e Suécia também surpreenderam, os Suecos ficaram em 3º lugar ao derrotar a Bulgária por 4x0.
6.4.1 - Veja os Países que participaram da copa de 1994
Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bulgária, Camarões, Colômbia, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Marrocos, México, Nigéria, Noruega, Romênia, Rússia, Suécia e Suíça. O time titular foi o seguinte, depois das contusões de Ricardo Rocha e Ricardo Gomes (titulares): Tafarel, Jorginho (Cafú) ,Aldair, Marcio Santos e Branco(Leonardo),Dunga, Mauro Silva, Mazinho (Rai) e Zinho e no ataque Bebeto e Romário.  Depois de 24 anos a Taça é Nossa -  Romário e Tafarel.
6.4.2 - Os heróis da Copa de 1994.
1 - Taffarel (Itália Reggiana)
2 - Jorginho (Alemanha Bayern Munique)
3 - Ricardo Rocha (Brasil Vasco da Gama)
4 - Ronaldão (Japão Shimizu)
5 - Mauro Silva (Espanha La Coruña)
6 -Branco ( Brasil Fluminense)
7 - Bebeto (Espanha La Coruña)
8 - Dunga (Alemanha Stuttgart)
9 - Zinho (Brasil Palmeiras)
10 - Raí (França Paris Saint Germain)
11 - Romário (Espanha FC Barcelona)
12 - Zetti (Brasil São Paulo)
13 - Aldair (Itália Roma)
14 - Cafu (Brasil São Paulo)
15 - Márcio Santos (França Bordeaux)
16 - Leonardo (Brasil São Paulo)
17 - Mazinho (Brasil Palmeiras)
18 - Paulo Sérgio (Alemanha Bayer Leverkusen)
19-  Muller (Brasil São Paulo)
20 – Ronaldo (Brasil Cruzeiro)
21 – Viola (Brasil Corinthians)
22 – Gilmar (Brasil Flamengo)
6.4.1 – Comissão técnica
6.4.2 – Musica que embalou a conquista do titulo:
'Coração Verde e Amarelo' (Treta Campeã)
AUTORES: Aerobanda - Tavito E Aldir Blanc

Na torcida são milhões de treinadores
Cada um já escalou a seleção
O verde e o amarelo são as cores
Que a gente pinta no coração,
A galera vibra canta se agita
E unida grita é tetra campeão
O toque de bola é a nossa escola
Nossa maior tradição,
Eu sei que vou vou do jeito que eu sei,
De gol em gol com direito a replay,
Eu sei que vou com o coração batendo a mil
É taça na raça Brasil
Eu sei que vou ,vou do jeito que eu sei,
De gol em gol com direito a replay,
Eu sei que vou com o coração batendo a mil
É taça na raça Brasil...
6.5 - B R A S I L PENTA C A M P E Ã O  M U N D I A L em 2002.
“BRASIL, BRASIL, BRASIL.
PENTA CAMPEÃO ,
SELEÇÃO AMARELINHA ,
ORGULHO DESSA NAÇÃO.”

Na Copa do Mundo de 2002, Ronaldo foi novamente convocado, apesar das dúvidas se realmente tinha condições de jogar, pois estava parado há praticamente dois anos, por problemas de contusão. Porém, na Copa, teve grandes atuações. O Brasil, que eliminou as seleções da Bélgica, Inglaterra, Turquia e Alemanha na final, acabou tendo Ronaldo como o artilheiro, com oito gols, sendo assim um dos grandes nomes da conquista juntamente com Rivaldo, que conquistou assim o seu quinto título, vencendo todas as partidas e mantendo sua hegemonia.
6.5.1 – Os heróis da Copa de 2002.
6.5.2 – Comissão Técnica
6.5.3 Musica que embalou  a conquista do titulo
6. 6 - 2014 – Rumo ao Hexa.
CORAÇÃO DE TORCEDOR: Caminhada rumo ao hexa.
Caros torcedores, 2014 estaremos iniciando mais uma caminhada rumo ao HEXA. O Brasil vai esperar mais uma vez que a nossa SELEÇÃO consiga encantar os torcedores com a conquista de mais uma COPA DO MUNDO. Como temos observado até o momento, vamos ter desta vez uma SELEÇÃO que vai apresentar um futebol competitivo, tendo como prioridade o desempenho individual e coletivo, com aquele toque refinado e impecável que encantou o mundo inteiro em outras jornadas. Desta forma  acreditamos num bom desempenho do nosso ESCRETE DE OURO nos campos do Brasil – o País do Futebol. Nosso treinador é competente e conhece os meandros de um campeonato mundial. Temos jogadores experientes que já participaram de grandes conquistas defendendo nossa SELEÇÃO. Se o BRASIL conseguir conquistar o HEXA, Vamos fazer uma grande corrente com o pensamento voltado para a terra do  futebol da Pátria de chuteiras, canalizando  toda nossa energia positiva na direção da SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL e assim continuar sendo a seleção que participou de todas as copas  elevando o nome do Brasil  aos quatros cantos do mundo encantando com seu futebol arte  cantando mais uma nova canção:  “VAMOS SELEÇÃO DE OURO, VAMOS QUE A ÔLA É ESSA, JUNTOS NESSA FESTA, CONQUISTAR O HEXA”.  
7. Distribuição de alas
7.1 – Descrição das alas 
8. Samba de Enredo
9 - Cronologia do Futebol  
- 1848 – Estudiosos da Universidade de Cambridge criam as regras para o jogo;
- 1862 – O primeiro clube de futebol do mundo, o inglês  Notts Count
- 1863 – Fundação da Football Association e o Início do primeiro Campeonato Oficial de Futebol;
- 1865 – Lançada a Regra do Impedimento. Na Argentina, nasce o Buenos Aires F.C.;
- 1872 – Primeiro Jogo internacional: Escócia x Inglaterra, em Glasgow, na Escócia. O placar foi de 0x0;
- 1873 – Nasce a Associação Escocesa de Futebol;
- 1875 – Implantaram-se, no futebol, os travessões;
- 1885 – As redes foram colocadas nas balizas;
- 1886 – Fundada a International Football Association Board;
- 1888 – A primeira liga de clubes, com 12 deles, na Inglaterra;
- 1891 – Cria-se o primeiro clube uruguaio, o Albion;
- 1894 – O futebol chega ao Brasil, através de Charles Miller;
- 1895 – Disputada a primeira partida de futebol no Brasil, em São Paulo. Partida: funcionários da Companhia Gás x Companhia Ferroviária São Paulo Railway, com derrota do Gás, por 4x2;
- 1898 – Mackenzie, o primeiro clube brasileiro;
- 1900 – O futebol passa a figurar entre os esportes olímpicos;
- 1901 – Fundado o River Plate, da Argentina;
- 1902 – Oscar Fox funda o Fluminense do Rio de Janeiro;
- 1904 –  Foi fundada a FIFA, em Paris. Proibido usar calção acima dos joelhos;
- 1905 – Fundação do Boca Juniors, da Argentina;
- 1909 – A primeira goleada no Brasil no Campeonato Carioca: Botafogo-Rj deu 24 a 0  no Mangueira;
- 1910 – Nasce o Corinthians Paulista;
- 1914 – É criada a Federação Brasileira de Esportes;
- 1916 – Nasce a Confederação Sul-Americana de Futebol -  CONMEBOL;
- 1924 – O Uruguai conquista medalha de ouro nas Olimpíadas;
- 1925 – Nasce o Clube Atlético Paulistano;
- 1928 – A FIFA decide fazer sua própria competição;
- 1929 – O Vasco da Gama coloca em seu guarda-redes luvas de borracha;
- 1930 – Primeira Copa do Mundo FIFA, realizada no Uruguai com a participação de 13 equipes. O time anfitrião foi o vencedor;
- 1940 – Nasce o Rei Pelé;
- 1950 – Foram introduzidos os números nas camisetas;
Suécia, 1958 - 'A Taça do Mundo é Nossa'  ( Campeão)
- 1958 – O francês, Just Fontaine, marca 13 gols em uma Copa do Mundo;
- 1959 – Primeira edição do Campeonato Taça Brasil;
- 1960 – Criada a Eurocopa e Copa Libertadores da América;
- Chile, 1962 - 'Frevo do bi' (Bi campeão)
- 1969 – Pelé marca o milésimo gol;
- 1963 – O Maracanã fica lotado no Fla x Flu;
- México, 1970 - 'Pra Frente Brasil'  (Tri Campeão_
- 1970 – Nas Copas do Mundo, é implantado o uso dos cartões amarelo e vermelho;
- 1979 – Criada a CBF;
- 1972 – A primeira partida transmitida pela televisão em cores, entre Caxias do Sul e Grêmio;
- 1973 – Fundação da Confederação de Futebol da Oceania;
- 1982 – A Hungria dá a maior goleada da história das Copas, 10x1, contra El Salvador;
- 1986 – Maradona faz um dos gols mais bonitos da história e humilha seleção Inglesa;
- Estados Unidos, 1994 - 'Coração Verde e Amarelo' ( Treta Campeão)
- Coreia do Sul e Japão, 2002 - 'A Festa' (Peta Campeã)
- 2002 – O Brasil se torna a primeira seleção a ser Pentacampeã;
- 2010 - A Espanha conquista seu primeiro título em Copas do Mundo.
9.1 – Cronologia da Seleção brasileira de futebol:

10- As músicas que embalaram o Brasil nas Copas do Mundo:
Quem é apaixonado pelo futebol ou pelo menos gosta de acompanhar a seleção brasileira nas Copas do Mundo certamente já se emocionou com alguma daquelas músicas que embalam o Brasil em Mundiais. Elas parecem fazer parte da competição, tanto nas vitórias como nas derrotas. A tradição teve início em 1958, na Copa da Suécia, quando o Brasil levantou seu primeiro troféu embalado por 'A taça do mundo é nossa'. E, com exceção de 1966, não parou mais. A seleção sempre joga a competição mais importante de futebol do planeta regida por alguma música. E, que tal relembramos estes sons que ficaram marcados nos corações dos brasileiros? Aqui vai uma lista com as canções mais conhecidas que embalaram o Brasil nas Copas. Ouça algumas e já vá pensando em um som que possa ajudar o Brasil na campanha rumo ao hexacampeonato no Brasil
10.1 - Músicas brasileiras nos Mundiais:
- Suécia, 1958 - 'A Taça do Mundo é Nossa'  ( Campeão)
- Chile, 1962 - 'Frevo do bi'  (Bi campeão)
- México, 1970 - 'Pra Frente Brasil'  (Tri Campeão
- Alemanha, 1974 - 'É mais uma emoção'
- Argentina, 1978 - 'Corrente 78'
- Espanha, 1982 - 'Povo Feliz'
- México, 1986 - 'Mexe Coração'
- Itália, 1990 - 'Papa essa Brasil'
- Estados Unidos, 1994 - 'Coração Verde e Amarelo' ( Treta Campeão)
- França, 1998 - 'Coração Verde e Amarelo'
- Coreia do Sul e Japão, 2002 - 'A Festa'  (Peta Campeão)
- Alemanha, 2006 - 'Epitáfio' Suécia, 1958 - 'A Taça do Mundo é Nossa'
11 – Razão Social.
Nome: Bloco Carnavalesco Unidos do Morro do Céu
CNPJ/MF 10.782899/0001-03
Endereço: Rua Cruz e Sousa      Numero: 299      Centro
Cidade: Florianópolis      CEP: 88020-710       Estado: Santa Catarina
Telefone: 99236204       E-mail: unidosdomorrodoceu@gmail.com   
12 – Diretoria.
12.1 - Diretoria Executiva.
- Presidente
- Fernando Cesar Machado
- Vice-Presidente
- Caio Luiz Teixeira
- Diretor de Administração e Finanças
- Hérverton Carlos Teixeira
- Diretor de Patrimônio
- Orlando Silva
- Diretor Social e Cultural
- Carlos Édson Lourenço
- Vice-Diretor Social e Cultural
Alberto Calazans de Souza
- Procurador Jurídico
Luiz Gustavo Correia
- Consultor Geral
Cesar Nunes
12.2 - CONSELHO FISCAL.
Alberto Marcos Pinheiro
Julio Cesar Macowieski
Abrahão Todescatto Santos
13. - O Bloco Unidos do Morro do Céu tem  as seguintes diretrizes:
11.1 - Missão - Difundir a cultura do Carnaval e os fundamentos do Unidos do Morro do Céu à sociedade, à comunidade, seus associados, simpatizantes e frequentadores.
11.2 -Visão - Tornar-se um polo cultural, com uma gestão eficiente, que tem como foco primordial a valorização da comunidade do Morro do Céu e adjacências e levar a agremiação à condição de escola de samba no carnaval de Florianópolis.
11.3 - Valores - Raça, espírito vencedor e comunitário, reconhecimento aos públicos interno e externo, ética, responsabilidade, valorização da história da comunidade, transparência na gestão e respeito aos princípios culturais, sociais e ambientais.
11.4 - Negócio - Entretenimento sócio cultural com foco no carnaval.
11.5 - Política da Qualidade - O Bloco Carnavalesco Unidos do Morro do Céu visa resultados positivos nas competições carnavalescas, investindo permanentemente em pessoas e processos, buscando o equilíbrio sociocultural, econômico e ambiental.


14. – Bibliografia.
Napoleão, Antonio Carlos, Assaf. “Livro - Seleção brasileira: 1914-2006
COSTA, Francisco. “O Futebol na ponta da caneta” In: Revista USP Nº 22 (jun/jul/ago)
- Dossiê Futebol. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1994, p. 84-91. 
COSTA, Flávio M. (org.) Onze em campo e um banco de primeira. Rio de Janeiro:
DA MATTA, Roberto. Antropologia do óbvio: notas em torno do significado social do futebol brasileiro. Revista USP, São Paulo: nº 22, jun./ago.1994, pp. 10-17.
DA MATTA, Roberto et al. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.
- ARAÚJO, José Renato de Campos. Imigração e Futebol
- DUARTE, Orlando. Todas as Copas do Mundo. São Paulo, MAKRON Books, 1994.
- RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais - crônicas de futebol. Seleção e notas Ruy Castro. São Paulo, Companhia das Letras, 1993.
_ Copas do Mundo - Das Eliminatórias ao Título
 Autor: Carvalho, Gustavo Longhi de; Santiago Jr., José Renato Sátiro
Editora: Novera
- Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo
 Autor: Coelho, Paulo Vinicius
  Editora: Panda Books
- Almanaque da Copa do Mundo
 Autor: Lancellotti, Silvio
 Editora: L&PM
- Brasil em Copas do Mundo
Autor: Filho, Barbosa
Editora: Panorama - Br
- Guia da Copa do Mundo 2002
 Autor: Radnedge, Keir
 Editora: Gryphus

















Florianópolis, 03 de janeiro de 2014.
















 BLOCO CARNAVALESCO UNIDOS DO MORRO DO CÉU




Carnaval 2014


ENREDO: 100 ANOS DE SELEÇÃO BRASILEIRA- O MELHOR FUTEBOL DO PLANETA




AUTOR: Héverton Teixeira
DESENVOLVIMENTO DO ENREDO
Edú Aguiar





Florianópolis, 14 de dezembro de 2013.





















“Ao menos aparentemente, não importa o quanto o futebol seja feito de contradições: ele atrai as massas do mundo todo, como nenhum outro esporte faz.”

Do autor: Héverton Teixeira

Introdução
Futebol faz parte da vida de todos os brasileiros: homens, mulheres, crianças. Todos unidos em torno de uma grande paixão nacional, é como dizem: o Brasil tem milhões de técnicos. Quem não gosta de assistir a um jogo, sentir a emoção de um gol, zoar o adversário pela derrota. Enfim, não dá pra negar, somos todos fanáticos por futebol. O futebol no Brasil é mais que um esporte, é um estilo de vida, uma forma de interagir com a sociedade brasileira. Independentemente de classe social, raça ou qualquer outra diferença, durante uma partida da Seleção brasileira, todos nós brasileiros somos apenas torcedores, com um único objetivo: vencer e levar o nome do Brasil a todas as pessoas do mundo. O legal do futebol é isso, poder conversar, discutir o melhor esquema tático, falar dos jogadores, do técnico, enfim, de tudo que diz respeito ao futebol.
“Somos todos uma nação: a nação dos fanáticos por futebol.”

Voa Canarinho
(Autores:Nono / Memeco)
Voa, canarinho voa,
Mostra pra esse povo que és um rei,
Voa, canarinho voa,
Bola rolando e o mundo se encantando,
Com a galera delirando,
Toma aí e quero mais.




1- Um pouco da historia desse esporte bretão que conquistou o mundo e o coração dos brasileiros.
“O futebol é um esporte bretão que eleva a autoestima de seus praticantes.”
O futebol tem uma origem que remonta a priscas eras passando pela Grécia antiga e pela China, mas o jogo mesmo com 11 homens de cada lado tentando colocar uma bola dentro do gol é bem mais recente. E hoje é um dia especial para os amantes do velho esporte bretão. Foi  exatamente  num dia 30 de novembro, de 1872, há 141 anos, que  foi dado o pontapé inicial com  a primeira partida oficial da história. Na ocasião, 4 mil espectadores acompanharam o jogo entre  Escócia e Inglaterra no campo do West of Scotland Cricket Club, em Partick, perto de Glasgow. A partida acabou 0 a 0, mas o encontro foi  histórico por tudo o que o futebol se  transformaria no século seguinte do futebol.
2 - No Brasil como tudo começou.
A história do futebol no Brasil tem início com um jovem chamado Oscar Cox que, como a maioria dos praticantes do esporte no século XIX, era de família rica e tinha estudado na Europa. Na bagagem de Cox, muito mais importante do que a bola de foot-ball, encontrava-se o manual de regras da Associação Futebolística Inglesa. Esse manual forneceu regras que ainda não eram conhecidas ou difundidas no futebol do Rio de Janeiro naquela época, mesmo pelas elites, que o praticavam, muitas vezes, sem compromisso com as regras oficiais. De fato, o futebol era um esporte incipiente no Brasil, embora na Inglaterra já fosse difundido e na Europa houvesse uma progressiva formação de clubes. A contínua difusão do esporte pela América do Sul foi um tanto correlata à experiência brasileira com Oscar Cox e Charles Muller. Este também havia ido à Inglaterra, em 1894, e também trouxe as regras do jogo. O football começa a dar seus passos para uma prática mais organizada, sistematizada, importada dos campeonatos e práticas inglesas do esporte.
O surgimento de novos clubes de futebol como o “Rio Foot-ball Club” – o primeiro formado por descendentes de ingleses e brasileiros da elite juntos – e o acolhimento do esporte, com posterior formação de times, por outros clubes mais antigos que praticavam outros esportes, como era o caso do Club de Regatas Vasco da Gama e o do Flamengo, marcam o início da chegada do jogo no Rio de Janeiro. Aliado a isso, foi fundamental para o esporte os jogos realizados contra os clubes e selecionados paulistas, estabelecendo-se uma rivalidade regional que  só fez com que este esporte se firmasse cada vez mais como esportes das multidões.
3 - Futebol paixão nacional.
Futebol é mais do que um esporte no Brasil, pois através dele se forjam identidades. Foi, por exemplo, um importante componente na formação da identidade brasileira, e não é por acaso que é feita a frequente comparação dele com as religiões, ao se dizer que “futebol é uma religião no Brasil”. Pois na relação com o futebol a população constrói mitos, santifica heróis e demoniza vilões, personagens de sua narrativa.
4- Seleção Canarinho: cem anos de futebol arte- - A construção da Nação Canarinho:
Mundialmente conhecido, nacionalmente adorado, o futebol brasileiro tem uma história fascinante. Quem poderia imaginar que poucos anos depois de estrear oficialmente, em julho de 1914, a seleção brasileira seria catapultada à condição de símbolo de brasilidade, tornando-se assuntos incontornáveis para torcedores, especialistas e até mesmo, intelectuais?
O enredo “A construção da Nação Canarinho – Cem anos de futebol arte” traz ao público algumas das várias histórias do futebol nacional em cem anos de historia – 1914 – 2014 pelos campos do mundo. Este tema percorre um eixo de pesquisa pouco usual, a fim de compreender o processo de formação da seleção brasileira. Por meio da análise de estratégias utilizadas por jogadores e dirigentes ao longo do tempo, este enredo procura entender as relações estabelecidas entre a seleção, e a paixão do povo brasileiro pelo futebol.
5- Nossa trajetória no futebol mundial:- A maior vencedora de todas as copas
A Seleção Brasileira de Futebol , criada pela Confederação Brasileira de futebol(CBF), que representa o país nas competições de futebol organizadas pela Comembol e pela FIFA. É o time mais bem-sucedido de futebol na história das copas do mundo, sendo a seleção nacional que mais vezes conquistou o Mundial com cinco títulos até então (1958, 1962,1970,1994,2002)tendo conquistado um total de 20 títulos internacionais oficiais. Um lema comum da seleção nacional do Brasil é: “Os ingleses o inventaram, mas os brasileiros o aperfeiçoaram” O Brasil é consistente entre as nações mais fortes de futebol do planeta e é a única equipe a ter jogado em todas as copas do mundo.
A primeira partida da seleção brasileira contra o Exeter City Football Clubem 1914.
A Seleção Brasileira foi formada pela primeira vez em 20 de agosto de1914. Fez seu primeiro jogo contra o Exeter City da Inglaterra, no campo do Fluminense, em 27 de julho daquele ano. Vitória para os brasileiros por 2 a 0, com o primeiro gol marcado por Oswaldo Gomes, do Fluminense. A equipe jogou ainda naquele ano em dois jogos contra a Seleção Argentina, sendo um amistoso em 20 de setembro e outro oficialmente, valendo a Copa Roca em 27 de Setembro, competição que visava a aproximar mais estes dois países. O Brasil venceu por 1-0 em Bueno Aires (gol de Rubens Salles), consagrando-se campeão do torneio, sendo esse o primeiro de vários títulos conquistados pela seleção Canarinho. O primeiro título relevante conquistado pela Seleção Brasileira foi o Campeonato Sul -Americano de 1919, atual Copa América, com Friedenreich marcando o gol do título sobre o Uruguai, no Estádio das laranjeiras construído pelo Fluminense para esta ocasião, já que o governo brasileiro não tinha o dinheiro para financiar este evento internacional. Em 1922, o Fluminense ampliou o seu estádio e a Seleção Brasileira conquistou o segundo título relevante de sua história, o bicampeonato do Sul Americano de Seleções.


6- Seleção Brasileira e as Copas do Mundo.
6.1 - Copa de 1958 onde o Brasil obteve o seu 1º titulo mundial de futebol.           
Enfim, após 28 anos de sofrimento e desilusões, a primeira grande vitória do futebol brasileiro, no embalo das artes de  Pelé, Garrincha e do Escrete  de Ouro. O time que fez de Garrincha a alegria do povo e de Pelé--aos 17 anos-- o rei do futebol. Uma equipe que não bastassem Pelé e Garrincha, ainda tinha Didi, Nilton Santos, Vavá, Belini, Zagalo, Orlando, Gilmar, Zito, Djalma Santos, que só precisou de um jogo para ser herói nacional. Na Suécia, sim, o Brasil tinha tudo: o timaço, a organização perfeita e a tática revolucionária. Pôde  então, realizar o seu sonho de 28 anos. E tão surpreendente foi a sua atuação, na copa de 1958, que os filmes dos jogos são exibidos até hoje no mundo inteiro como autênticas aulas de futebol.
Nascia um Rei - Pelé o camisa 10.
Quando o time voltou, coberto de gloria  o povo cantou e dançou. Nunca um time começara tão desacreditado quanto esse. A CBD fora organizada por João Havelange. e a seleção também. Logo a seguir ele oficializou o Plano Paulo Machado de Carvalho que revolucionava todo o sistema administrativo do futebol brasileiro, do ponto de vista popular, a idéia de uma Comissão Técnica agradava. Mas ainda havia quem não acreditasse em Vicente Feola como técnico e em Carlos Nascimento como supervisor. No final os dois acabariam consagrados ao lado dos seus jogadores. Era a hora do reverso da medalha: o  time que embarcara cercado de pessimismo voltou coberto de serpentinas. E festejado com um carnaval inesquecível.
6.1.1 - Os heróis da Copa de 1958.
Castilho  , Bellini, Gilmar, Djalma Santos, Dino, Didi, Zagallo, Moacir, Zózimo, Pelé, Garrincha, Nilton Santos, Mauro, De Sordi, Orlando      , Oreco, Joel, Mazzola, Zito, Vavá, Dida e Pepe.

6.1.2 - Comissão Técnica
Chefe: Paulo Machado de Carvalho
Secretário: Abílio de Almeida
Tesoureiro: Adolpho Marques Júnior
Delegado ao Congresso: Luiz Murgel
Supervisor técnico: Carlos Nascimento
Técnico: Vicente Feola
Preparador físico: Paulo Amaral
Observador técnico: José de Almeida
Psicólogo: João Carvalhaes
Médico: Hilton Gosling
Dentista: Mário Trigo Loureiro
Massagista: Mário Américo
Auxiliar: Francisco de Assis (roupeiro)
6.1.3 - Musica que embalou a conquista  do titulo:
A Taça do Mundo é nossa
Autores: W. Maugeri, Maugeri S., V. Dagô e L. Müller

A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
O brasileiro lá no estrangeiro
Mostrou o futebol como é que é
Ganhou a taça do mundo
Sambando com a bola no pé (Goool!)
A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
A taça do mundo é nossa
Com brasileiro, não há quem possa
Êh eta esquadrão de ouro
É bom no samba, é bom no couro
O brasileiro lá no estrangeiro
Mostrou o futebol como é que é
Ganhou a taça do mundo
Sambando com a bola no pé (Goool!)

6.2- 1962: O bicampeonato.
Vamos ver como foi à conquista do Bicampeonato em 1962.
O milagre do bi começou quando o Brasil mostrou que, com Pelé ou sem, ganhava, principalmente com Garrincha em recital.
O bi era questão de honra. Tanto que se organizou uma verdadeira operação de guerra para conquista-lo. Talvez nem mesmo em Cabo Kenedy ou Baikonur, uma tarefa tenha sido tão esmiuçada e testada, ponto por ponto. Assim, na era da conquista do Cosmo, o foguete brasileiro era a bola. A tal ponto que o time desembarcou no Chile preparado para tudo. Até para jogar sem Pelé, como jogou e ganhou. Quando ele se machucou, houve certo pânico. Pelé era o maior jogador do mundo e, em consequência, o ponto de desequilíbrio em qualquer partida de futebol. Mas Amarildo estava preparado para ocupar o seu lugar. E foi justamente ele quem traçou o destino do Brasil naquela Copa, com dois gols marcados contra a Espanha. A partir dali tudo ficou mais fácil. Nos 3x1 contra a Inglaterra, o time já recuperara a confiança na sua força, com Garrincha mais Mané do que nunca, em pleno recital, cercado de Joões por todos os lados. Mas um Garrincha bem brasileiro, vencedor. Uma espécie de El Cid, galopando seu futebol em todas as direções. E na linha reta da vitória final que ele Garrincha--- mais do que nunca a alegria do povo ----ajudou a ganhar.   
 Garrincha e seus "Joões" este escrete, mesmo sem Pelé (machucado) era um TIMAÇO!!!
Historicamente, o bi consagrou uma das mais privilegiadas gerações do futebol brasileiro. É verdade que Pelé reinava. Mas ninguém discutia os talentos e as lideranças de Zito, Didi e Mauro, que faziam do Brasil um time de três corações. Um time que, além de tudo, contava com Gilmar, Nilton Santos e Djalma Santos, Mauro, Vavá mais leão do que nunca, Zagalo, Zozimo e outros heróis do bi.
6.2.1 - Os heróis da Copa de 1962.
 Djalma Santos, Zito,Gilamr, Zozimo, Mauro e Nilton Santos , Garrincha, Didi, Vavá, Amarildo e Zagalo.
6.2.2 – Comissão Técnica
Treinador: Aymoré Moreira
Supervisor: Carlos Nascimento      
Superintendente: Mozart Machado
Preparador físico e chefe da delegação: Paulo Machado
Olheiro: Ernesto dos Santos
Administrador: José de Almeida   
Tesoureiro: Ronald Vaz Moreira
Secretário: Adolfo Marques
Roupeiro: Francisco de Assis
Cozinheiro e sapateiro: Aristides Pereira
6.2.2- Comissão médica    
Médico: Hilton Gosling
Psicólogo:  Ataíde Ribeiro     
Dentista: Mário Trigo
Massoterapeuta: Mário Américo
6.2.3- Outros
Jornalista oficial (O Globo) Ricardo Serra
Delegado: Luiz Murgel  
Delegado: Abílio Ferreira     
Delegado: Paulo Costa
Delegado: António do Passo
Convidado de honra: João Mendonça
Convidado de honra: João de Paiva      
6.2.4 – Musica que embalou a conquista do titulo:
Frevo do Bi
Autor:Silvério Pessoa

Vocês vão ver como é
Didi, Garrincha, Pelé
Dando seu baile de bola
Quando eles pegam no couro
O nosso escrete de ouro
Mostra o que é nossa escola
Quando a partida esquentar
E Vavá de calcanhar
Entregar a pelota a Mané
E Mané Garrincha, Didi
Didi diz é por aqui
Aí vem o gol de Pelé
6. 3 - 1970 – Tricampeã no México.
O tri, no México, foi à coroação de um trabalho de quatro anos que começou no momento em que o Brasil foi eliminado, na Inglaterra em 1966.
Estava escrito, porém, que o fracasso de Liverpool, o Brasil tiraria as lições para a mais primorosa campanha já cumprida por uma seleção, na história das Copas do mundo. Durante três anos trabalhou-se pelo o tri.Em 1967 João Havelange criou uma Comissão Selecionadora Nacional(COSENA).Em 1968 Aymoré Moreira testou um time renovado numa excursão à Europa. Em 1969 João Saldanha formou a equipe para as eliminatórias e revolucionou certos conceitos de recrutamento. Finalmente, na hora da Copa, a boa estrela, a experiência e os indiscutíveis conhecimentos de Zagalo foram decisivos. Ainda se tinha o incomparável Pelé, disposto a tudo na sua ultima Copa. O melhor, porém, era a geração que chegava, com Tostão, Jairzinho, Gerson ,Carlos Alberto Torres, Brito, Everaldo, Clodoaldo ,Rivelino, Paulo Cesar ,Felix. Discute-se, até hoje, qual o melhor time: se o de 58, o de 62 ou o de 1970. E, certas coisas que se viram no México, só mesmo o time do tri.
6.3.1- O Timaço do TRI - 1970
“O segredo da seleção brasileira foi acreditar sempre na sua superioridade em campo”.
Nunca um time havia jogado tanto, nas finais da "Jules Rimet". Ao final da Copa de 1970, a critica internacional foi unânime em nomear o time do Brasil como um dos melhores de todos que disputaram a Taça Jules Rimet , desde a sua instituição. E  foi justamente essa equipe que conquistou definitivamente para o Brasil o valioso troféu. Como em 58 e 62, o conjunto da seleção era impecável. Pelé era novamente o seu Rei. Não havia mais Garrincha. Mas Jairzinho (fez gol em todos os jogos da copa) estava lá. O time titular formou com : Felix, Carlos Alberto Torres, Brito, Piazza e Everaldo, Clodoaldo, Gerson e Rivelino e no ataque, Jairzinho, Tostão e Pelé , participaram também : Marco Antônio, Paulo Cesar Lima, Dario ,Ado, Leão, Joel  Camargo, Fontana, Baldochi e Roberto. Mas era a figura de Tostão que sombreava Pelé. Talvez por jogar sempre ao seu lado. E tão bem quanto ele. O que Pelé e Garrincha foram em 58 e 62, Tostão foi em 70. Por ironia do destino, não alcançou a mesma fama deles. Teve que para antes. Foi, porém, a abelha-mestra do TRI. E essa justiça, a história lhe faz. Pra Frente Brasil (Copa De 1970)
Brasil Tricampeão do Mundo! A comemoração brasileira, dentro e fora do estádio Azteca, fora tão espetacular como nunca houvera antes em nenhuma Copa do Mundo. Torcedores em delírio acercavam-se dos jogadores brasileiros retirando não só suas camisas, mas qualquer coisa que ainda restasse de seu uniforme. Este delírio e paixão pelo nosso futebol eram na verdade os resultados dos jogos exuberantes mostrado pelo Brasil nos gramados mexicanos. Jogos que não foram somente caracterizados pela arte, mas pela dedicação e entusiasmo que marcaram aquela seleção. A mesma seleção que ajudaria a consagrar o maior jogador de futebol de todos os tempos: Pelé.
“Jair o furacão da Copa e Pelé, mais Rei do que nunca, na sua ultima Copa.”

6.3.2- Os heróis da Copa de 1970.
1 -  Félix (Fluminense)
2 – Brito (Flamengo)
3 - Piazza (Cruzeiro)
4 -  Carlos Alberto (Santos)
5 - Clodoaldo (Santos)
6 - Marco Antonio (Fluminense)
7 - Jairzinho (Botafogo)
8 - Gérson (Sao Paulo)
9 - Tostão (Cruzeiro)
10 - Pelé (Santos)
11 - Rivelino (Corinthians)
12 - Ado (Corinthians)
13 - Roberto (Botafogo)
14 - Baldocchi (Palmeiras)
15 - Fontana (Cruzeiro)
16 - Everaldo (Gremio)
17 - Joel (Santos)
18 - Paulo César (Botafogo)
19 - Edu (Santos)
20 - Dario (Atlético MG)
21 - Zé Maria (Portuguesa)
22 - Leão (Palmeiras)

6.3.3 - Comissão técnica Copa do Mexico.
Chefe: Jeronimo Bastos.
Secretário da Chefia: Roberto Camara Guaranyr.
Assistente Administrativo: Walter José dos Santos
Delegados ao Congresso: Sílvio Correa Pacheco, Abílio Ferreira D'Almeida e José Hermírio de Moraes Filho.
Tesoureiro: Sebastião Martines Alonso.
Presidente da Comissão: Antonio do Passo.
Administrador: José de Almeida.
Assessor Administrativo: Tarso Heredia.
Supervisor: Claudio Coutinho
Técnico: Mario Jorge Lobo Zagalo.
Médicos: Lídio Toledo e Mário Pompeu.
Preparadores Físicos: Admildo Chirol e Carlos Alberto Parreira.
Massagistas: Mário Americo e Nocaute Jack.
Roupeiro: Abílio José da Silva.
Cozinheiros: Edgar Barbosa e Mário Vieira da Rocha.
6.3.4– Musica que embalou a conquista do titulo:
'Pra Frente Brasil'
Compositor: Miguel Gustavo.

Noventa milhões em ação
Pra frente Brasil
Do meu coração
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil
Salve a Seleção
De repente é aquela corrente pra frente
Parece que todo o Brasil deu a mão
Todos ligados na mesma emoção
Tudo é um só coração!
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil, Brasil
“Salve a Seleção...”

6.4 - B R A S I L T E T R A C A M P E Ã O M U N D I A L  1994  
A copa do mundo de 1994, foi sediada pelo EUA, apesar de pouca tradição no futebol, bateu todos os recordes de publico mantidos até hoje. Com um futebol extremamente eficiente e com um grupo muito unido e liderado pelo polêmico craque Romário, a seleção brasileira conquistou seu 4º titulo mundial. Foi a copa das surpresas, A Bulgária que até ali em seis participações anteriores jamais havia vencido um jogo de Copa do Mundo superou grandes favoritos, sendo a 1ª colocada num grupo que tinha a Argentina, além de eliminar num jogo emocionante a Alemanha, até então campeã mundial por 2x1 nas quartas de final. Outra surpresa foi a Nigéria, com seu futebol ofensivo. Romênia e Suécia também surpreenderam, os Suecos ficaram em 3º lugar ao derrotar a Bulgária por 4x0.
6.4.1 - Veja os Países que participaram da copa de 1994
Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bulgária, Camarões, Colômbia, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Marrocos, México, Nigéria, Noruega, Romênia, Rússia, Suécia e Suíça. O time titular foi o seguinte, depois das contusões de Ricardo Rocha e Ricardo Gomes (titulares): Tafarel, Jorginho (Cafú) ,Aldair, Marcio Santos e Branco(Leonardo),Dunga, Mauro Silva, Mazinho (Rai) e Zinho e no ataque Bebeto e Romário.  Depois de 24 anos a Taça é Nossa -  Romário e Tafarel.
6.4.2 - Os heróis da Copa de 1994.
1 - Taffarel (Itália Reggiana)
2 - Jorginho (Alemanha Bayern Munique)
3 - Ricardo Rocha (Brasil Vasco da Gama)
4 - Ronaldão (Japão Shimizu)
5 - Mauro Silva (Espanha La Coruña)
6 -Branco ( Brasil Fluminense)
7 - Bebeto (Espanha La Coruña)
8 - Dunga (Alemanha Stuttgart)
9 - Zinho (Brasil Palmeiras)
10 - Raí (França Paris Saint Germain)
11 - Romário (Espanha FC Barcelona)
12 - Zetti (Brasil São Paulo)
13 - Aldair (Itália Roma)
14 - Cafu (Brasil São Paulo)
15 - Márcio Santos (França Bordeaux)
16 - Leonardo (Brasil São Paulo)
17 - Mazinho (Brasil Palmeiras)
18 - Paulo Sérgio (Alemanha Bayer Leverkusen)
19-  Muller (Brasil São Paulo)
20 – Ronaldo (Brasil Cruzeiro)
21 – Viola (Brasil Corinthians)
22 – Gilmar (Brasil Flamengo)
6.4.1 – Comissão técnica
6.4.2 – Musica que embalou a conquista do titulo:
'Coração Verde e Amarelo' (Treta Campeã)
AUTORES: Aerobanda - Tavito E Aldir Blanc

Na torcida são milhões de treinadores
Cada um já escalou a seleção
O verde e o amarelo são as cores
Que a gente pinta no coração,
A galera vibra canta se agita
E unida grita é tetra campeão
O toque de bola é a nossa escola
Nossa maior tradição,
Eu sei que vou vou do jeito que eu sei,
De gol em gol com direito a replay,
Eu sei que vou com o coração batendo a mil
É taça na raça Brasil
Eu sei que vou ,vou do jeito que eu sei,
De gol em gol com direito a replay,
Eu sei que vou com o coração batendo a mil
É taça na raça Brasil...
6.5 - B R A S I L PENTA C A M P E Ã O  M U N D I A L em 2002.
“BRASIL, BRASIL, BRASIL.
PENTA CAMPEÃO ,
SELEÇÃO AMARELINHA ,
ORGULHO DESSA NAÇÃO.”

Na Copa do Mundo de 2002, Ronaldo foi novamente convocado, apesar das dúvidas se realmente tinha condições de jogar, pois estava parado há praticamente dois anos, por problemas de contusão. Porém, na Copa, teve grandes atuações. O Brasil, que eliminou as seleções da Bélgica, Inglaterra, Turquia e Alemanha na final, acabou tendo Ronaldo como o artilheiro, com oito gols, sendo assim um dos grandes nomes da conquista juntamente com Rivaldo, que conquistou assim o seu quinto título, vencendo todas as partidas e mantendo sua hegemonia.
6.5.1 – Os heróis da Copa de 2002.
6.5.2 – Comissão Técnica
6.5.3 Musica que embalou  a conquista do titulo
6. 6 - 2014 – Rumo ao Hexa.
CORAÇÃO DE TORCEDOR: Caminhada rumo ao hexa.
Caros torcedores, 2014 estaremos iniciando mais uma caminhada rumo ao HEXA. O Brasil vai esperar mais uma vez que a nossa SELEÇÃO consiga encantar os torcedores com a conquista de mais uma COPA DO MUNDO. Como temos observado até o momento, vamos ter desta vez uma SELEÇÃO que vai apresentar um futebol competitivo, tendo como prioridade o desempenho individual e coletivo, com aquele toque refinado e impecável que encantou o mundo inteiro em outras jornadas. Desta forma  acreditamos num bom desempenho do nosso ESCRETE DE OURO nos campos do Brasil – o País do Futebol. Nosso treinador é competente e conhece os meandros de um campeonato mundial. Temos jogadores experientes que já participaram de grandes conquistas defendendo nossa SELEÇÃO. Se o BRASIL conseguir conquistar o HEXA, Vamos fazer uma grande corrente com o pensamento voltado para a terra do  futebol da Pátria de chuteiras, canalizando  toda nossa energia positiva na direção da SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL e assim continuar sendo a seleção que participou de todas as copas  elevando o nome do Brasil  aos quatros cantos do mundo encantando com seu futebol arte  cantando mais uma nova canção:  “VAMOS SELEÇÃO DE OURO, VAMOS QUE A ÔLA É ESSA, JUNTOS NESSA FESTA, CONQUISTAR O HEXA”.  
7. Distribuição de alas
7.1 – Descrição das alas 
8. Samba de Enredo
9 - Cronologia do Futebol  
- 1848 – Estudiosos da Universidade de Cambridge criam as regras para o jogo;
- 1862 – O primeiro clube de futebol do mundo, o inglês  Notts Count
- 1863 – Fundação da Football Association e o Início do primeiro Campeonato Oficial de Futebol;
- 1865 – Lançada a Regra do Impedimento. Na Argentina, nasce o Buenos Aires F.C.;
- 1872 – Primeiro Jogo internacional: Escócia x Inglaterra, em Glasgow, na Escócia. O placar foi de 0x0;
- 1873 – Nasce a Associação Escocesa de Futebol;
- 1875 – Implantaram-se, no futebol, os travessões;
- 1885 – As redes foram colocadas nas balizas;
- 1886 – Fundada a International Football Association Board;
- 1888 – A primeira liga de clubes, com 12 deles, na Inglaterra;
- 1891 – Cria-se o primeiro clube uruguaio, o Albion;
- 1894 – O futebol chega ao Brasil, através de Charles Miller;
- 1895 – Disputada a primeira partida de futebol no Brasil, em São Paulo. Partida: funcionários da Companhia Gás x Companhia Ferroviária São Paulo Railway, com derrota do Gás, por 4x2;
- 1898 – Mackenzie, o primeiro clube brasileiro;
- 1900 – O futebol passa a figurar entre os esportes olímpicos;
- 1901 – Fundado o River Plate, da Argentina;
- 1902 – Oscar Fox funda o Fluminense do Rio de Janeiro;
- 1904 –  Foi fundada a FIFA, em Paris. Proibido usar calção acima dos joelhos;
- 1905 – Fundação do Boca Juniors, da Argentina;
- 1909 – A primeira goleada no Brasil no Campeonato Carioca: Botafogo-Rj deu 24 a 0  no Mangueira;
- 1910 – Nasce o Corinthians Paulista;
- 1914 – É criada a Federação Brasileira de Esportes;
- 1916 – Nasce a Confederação Sul-Americana de Futebol -  CONMEBOL;
- 1924 – O Uruguai conquista medalha de ouro nas Olimpíadas;
- 1925 – Nasce o Clube Atlético Paulistano;
- 1928 – A FIFA decide fazer sua própria competição;
- 1929 – O Vasco da Gama coloca em seu guarda-redes luvas de borracha;
- 1930 – Primeira Copa do Mundo FIFA, realizada no Uruguai com a participação de 13 equipes. O time anfitrião foi o vencedor;
- 1940 – Nasce o Rei Pelé;
- 1950 – Foram introduzidos os números nas camisetas;
Suécia, 1958 - 'A Taça do Mundo é Nossa'  ( Campeão)
- 1958 – O francês, Just Fontaine, marca 13 gols em uma Copa do Mundo;
- 1959 – Primeira edição do Campeonato Taça Brasil;
- 1960 – Criada a Eurocopa e Copa Libertadores da América;
- Chile, 1962 - 'Frevo do bi' (Bi campeão)
- 1969 – Pelé marca o milésimo gol;
- 1963 – O Maracanã fica lotado no Fla x Flu;
- México, 1970 - 'Pra Frente Brasil'  (Tri Campeão_
- 1970 – Nas Copas do Mundo, é implantado o uso dos cartões amarelo e vermelho;
- 1979 – Criada a CBF;
- 1972 – A primeira partida transmitida pela televisão em cores, entre Caxias do Sul e Grêmio;
- 1973 – Fundação da Confederação de Futebol da Oceania;
- 1982 – A Hungria dá a maior goleada da história das Copas, 10x1, contra El Salvador;
- 1986 – Maradona faz um dos gols mais bonitos da história e humilha seleção Inglesa;
- Estados Unidos, 1994 - 'Coração Verde e Amarelo' ( Treta Campeão)
- Coreia do Sul e Japão, 2002 - 'A Festa' (Peta Campeã)
- 2002 – O Brasil se torna a primeira seleção a ser Pentacampeã;
- 2010 - A Espanha conquista seu primeiro título em Copas do Mundo.
9.1 – Cronologia da Seleção brasileira de futebol:

10- As músicas que embalaram o Brasil nas Copas do Mundo:
Quem é apaixonado pelo futebol ou pelo menos gosta de acompanhar a seleção brasileira nas Copas do Mundo certamente já se emocionou com alguma daquelas músicas que embalam o Brasil em Mundiais. Elas parecem fazer parte da competição, tanto nas vitórias como nas derrotas. A tradição teve início em 1958, na Copa da Suécia, quando o Brasil levantou seu primeiro troféu embalado por 'A taça do mundo é nossa'. E, com exceção de 1966, não parou mais. A seleção sempre joga a competição mais importante de futebol do planeta regida por alguma música. E, que tal relembramos estes sons que ficaram marcados nos corações dos brasileiros? Aqui vai uma lista com as canções mais conhecidas que embalaram o Brasil nas Copas. Ouça algumas e já vá pensando em um som que possa ajudar o Brasil na campanha rumo ao hexacampeonato no Brasil
10.1 - Músicas brasileiras nos Mundiais:
- Suécia, 1958 - 'A Taça do Mundo é Nossa'  ( Campeão)
- Chile, 1962 - 'Frevo do bi'  (Bi campeão)
- México, 1970 - 'Pra Frente Brasil'  (Tri Campeão
- Alemanha, 1974 - 'É mais uma emoção'
- Argentina, 1978 - 'Corrente 78'
- Espanha, 1982 - 'Povo Feliz'
- México, 1986 - 'Mexe Coração'
- Itália, 1990 - 'Papa essa Brasil'
- Estados Unidos, 1994 - 'Coração Verde e Amarelo' ( Treta Campeão)
- França, 1998 - 'Coração Verde e Amarelo'
- Coreia do Sul e Japão, 2002 - 'A Festa'  (Peta Campeão)
- Alemanha, 2006 - 'Epitáfio' Suécia, 1958 - 'A Taça do Mundo é Nossa'
11 – Razão Social.
Nome: Bloco Carnavalesco Unidos do Morro do Céu
CNPJ/MF 10.782899/0001-03
Endereço: Rua Cruz e Sousa      Numero: 299      Centro
Cidade: Florianópolis      CEP: 88020-710       Estado: Santa Catarina
Telefone: 99236204       E-mail: unidosdomorrodoceu@gmail.com   
12 – Diretoria.
12.1 - Diretoria Executiva.
- Presidente
- Fernando Cesar Machado
- Vice-Presidente
- Caio Luiz Teixeira
- Diretor de Administração e Finanças
- Hérverton Carlos Teixeira
- Diretor de Patrimônio
- Orlando Silva
- Diretor Social e Cultural
- Carlos Édson Lourenço
- Vice-Diretor Social e Cultural
Alberto Calazans de Souza
- Procurador Jurídico
Luiz Gustavo Correia
- Consultor Geral
Cesar Nunes
12.2 - CONSELHO FISCAL.
Alberto Marcos Pinheiro
Julio Cesar Macowieski
Abrahão Todescatto Santos
13. - O Bloco Unidos do Morro do Céu tem  as seguintes diretrizes:
11.1 - Missão - Difundir a cultura do Carnaval e os fundamentos do Unidos do Morro do Céu à sociedade, à comunidade, seus associados, simpatizantes e frequentadores.
11.2 -Visão - Tornar-se um polo cultural, com uma gestão eficiente, que tem como foco primordial a valorização da comunidade do Morro do Céu e adjacências e levar a agremiação à condição de escola de samba no carnaval de Florianópolis.
11.3 - Valores - Raça, espírito vencedor e comunitário, reconhecimento aos públicos interno e externo, ética, responsabilidade, valorização da história da comunidade, transparência na gestão e respeito aos princípios culturais, sociais e ambientais.
11.4 - Negócio - Entretenimento sócio cultural com foco no carnaval.
11.5 - Política da Qualidade - O Bloco Carnavalesco Unidos do Morro do Céu visa resultados positivos nas competições carnavalescas, investindo permanentemente em pessoas e processos, buscando o equilíbrio sociocultural, econômico e ambiental.


14. – Bibliografia.
Napoleão, Antonio Carlos, Assaf. “Livro - Seleção brasileira: 1914-2006
COSTA, Francisco. “O Futebol na ponta da caneta” In: Revista USP Nº 22 (jun/jul/ago)
- Dossiê Futebol. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1994, p. 84-91. 
COSTA, Flávio M. (org.) Onze em campo e um banco de primeira. Rio de Janeiro:
DA MATTA, Roberto. Antropologia do óbvio: notas em torno do significado social do futebol brasileiro. Revista USP, São Paulo: nº 22, jun./ago.1994, pp. 10-17.
DA MATTA, Roberto et al. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.
- ARAÚJO, José Renato de Campos. Imigração e Futebol
- DUARTE, Orlando. Todas as Copas do Mundo. São Paulo, MAKRON Books, 1994.
- RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais - crônicas de futebol. Seleção e notas Ruy Castro. São Paulo, Companhia das Letras, 1993.
_ Copas do Mundo - Das Eliminatórias ao Título
 Autor: Carvalho, Gustavo Longhi de; Santiago Jr., José Renato Sátiro
Editora: Novera
- Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo
 Autor: Coelho, Paulo Vinicius
  Editora: Panda Books
- Almanaque da Copa do Mundo
 Autor: Lancellotti, Silvio
 Editora: L&PM
- Brasil em Copas do Mundo
Autor: Filho, Barbosa
Editora: Panorama - Br
- Guia da Copa do Mundo 2002
 Autor: Radnedge, Keir
 Editora: Gryphus

















Florianópolis, 03 de janeiro de 2014.